DICAS DE SAÚDE, PREVENÇÃO E CIDADANIA


          ÓCULOS ESCUROS: Ao comprar, para presentear alguém, ou para uso pessoal ou dos filhos, exija a garantia escrita de que as lentes têm filtro eficaz para as radiações ultravioletas (UV A e UV B). Solicite a aferição (no aparelho espectrômetro) da capacidade de as lentes bloquearem essas radiações. O uso de óculos escuros provoca dilatação das pupilas, aumentando a entrada de todas as radiações, inclusive das ultravioletas, danosas a todas as estruturas do globo ocular. Portanto, se os óculos escuros não tiverem esse filtro, seu uso aumentará a entrada das radiações nocivas, ao invés de diminuir e proteger. Assim, é preferível não usar, a usar óculos escuros sem um eficiente filtro para radiações ultravioletas. Ainda mais que, recentemente, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) detectou níveis exagerados e preocupantes dessas radiações, em quase todas as regiões do Brasil, incluindo-se a região de Campinas.

          ESCOVA DE DENTES: É desaconselhável guardá-la em caixinha plástica, após o uso. A caixinha facilita a proliferação de microorganismos, na escova. Portanto, após lavá-la, guarde-a em local arejado.

          CRIANÇAS DENTRO DE CASA: Os pais e responsáveis devem, sempre, observar em volta e tentar imaginar quais serão as traquinagens que os pequerruchos poderão aprontar, para, então, poderem se antecipar e prevenir desastres domésticos. (A) Produtos químicos sob as pias da cozinha, banheiros, áreas de serviço etc, representam risco de ingestão, aspiração, derramamento na pele, mucosas etc. Prevenção: guardá-los em local fora do alcance dos infantes. E os remédios da sua casa, estão guardados longe do alcance das crianças? Procure saber se a sua cidade dispõe de um Centro de Controle de Intoxicações (CCI) e mantenha à vista o seu telefone, para casos de ingestão acidental de produtos químicos ou picadas de animais peçonhentos. No Brasil, existem 31 CCIs, sendo 12 no Estado de São Paulo. O CCI de Campinas funciona (24 horas/dia, 7 dias por semana) no Pronto Socorro do Hospital de Clínicas, da UNICAMP, e os fones são 378-87555 e 378-86700. Para mais informações, veja SERVIÇO, abaixo. (B) Cabos de panelas, frigideiras etc nunca devem permanecer voltados para fora do fogão, possibilitando o alcance pelas crianças, ou esbarrões. (C) Bacias e baldes com água representam perigo de afogamento para crianças de pouca idade. (D) Geladeira velha representa risco de a criança entrar e fechar-se por dentro. (E) Crianças costumam pendurarem-se em tanques de lavar roupas. Estes devem ser muito bem chumbados (fixados) a uma base sólida. Deve-se fixar um caibro sob a parte onde as crianças se penduram, que impeça o tanque de virar sobre elas. Nesses acidentes, muitas crianças já sofreram gravíssimas lesões ou, até, morreram. (F) Tomadas devem receber protetor, para impedir a introdução do dedinho ou de objetos metálicos.

          CRIANÇAS EM MOVIMENTO: Há pessoas que fazem festa com crianças de tenra idade, arremessando-as para cima, como se fossem bolas ou objetos. Tal procedimento pode provocar sérias lesões cerebrais nos infantes, mesmo quando são devidamente segurados no ar. Portanto, deve-se abolir tal prática, bem como evitar movimentos bruscos com os petizes.
    Por outro lado, com preocupante freqüência, vemos pais ou irmãos mais velhos erguerem crianças segurando-as pelo pulso ou antebraço, para pularem sobre uma valeta, um buraco ou uma poça d'água. Evite fazer isso! Esse hábito pode provocar luxação (deslocamento) da articulação do ombro da criança. Portanto, quando preciso, erga a criança, segurando-a sob as duas axilas.

          CARTA SOCIAL: Você pode enviar até cinco cartas, por dia, por agência, usando apenas 1 (um) selo de 1 (um) centavo, por carta. A carta pode pesar até 10 (dez) gramas (envelope ofício + uma folha de papel sulfite) e deve conter escrito carta social, logo abaixo do selo. Só vale para cartas enviadas de pessoa física, para outra pessoa física.

 

 

 

 

 

 

 

           CALÇADAS TRANSFORMADAS EM ESTACIONAMENTOS OU VITRINES: Um fenômeno nojento e revoltante está se disseminado em inúmeras cidades brasileiras (incluindo-se Campinas), com a total indiferença e inação do Poder Público. Uma verdadeira praga! Trata-se de mais um esbulho possessório do solo público, aliado a infração grave ao Código Nacional de Trânsito. Certos comerciantes ou prestadores de serviços, inescrupulosos, egoístas, insensíveis, despojados de cidadania e respeito, estão transformando as calçadas fronteiriças em extensão do solo de seus estabelecimentos. Freqüentemente, pintam o passeio em cor verde ou azul, dividem-no por meio de faixas amarelas. Quando não colocam vasos, canos e outros obstáculos à livre circulação de pedestres. Em muitos casos, há um pequeno recuo diante do prédio, porém, insuficiente para comportar os veículos. O pior acontece quando a vaga é ocupada por enormes e reluzentes caminhonetes, prateadas ou pretas. Aí, o que resta para os pedestres (os legítimos proprietários do espaço) é a sarjeta e o asfalto. E estes que se lasquem, competindo com o trânsito, no leito carroçável. O mais incompreensível é que, em muitas cidades, as calçadas foram rebaixadas, nas esquinas, para permitirem a circulação de cadeiristas. Mas, de que adianta estes subirem à calçada, se mais adiante ela está obstruída? Será que deverão descer ao asfalto, contornar, e subir, novamente?
    Há algum tempo, eu soube do caso de um cadeirista que carrega uma marreta e ameaça, com ela, bater na lataria de veículos que sejam obstáculo ao seu percurso, nas calçadas. Segundo me contaram, ele estabelece dois minutos para o motorista retirar o veículo. Caso contrário, mais serviço haverá para o lanterneiro. Parabéns a esse cidadão de ação! Quanto às autoridades que deveriam atuar e multar.... ora, ora, pois, pois. (Leiam os versos do Bezerra da Silva, clicando no botão REFLEXÕES ).
    Defronte certas revendas de veículos, é fácil ver carros em posição de manequim, sendo a calçada transformada em vitrine, extensão da loja! (Veja foto acima). E nossas autoridades de trânsito e fiscalização o que fazem? Certamente, estão cegas, surdas e mudas! Acaso, seria esta mais uma irregularidade movida pela energia propulsora do tipo binômio maço-carimbaço?
    Eu pergunto: quem autoriza o rebaixamento da guia onde não há recuo suficiente para o estacionamento de veículos? Se não há autorização, então por que não se tomam providências contra a irregularidade? Continuando: quem se responsabiliza por eventuais atropelamentos ocorridos defronte de tais locais, quando ao pedestre é destinado, exclusivamente, o leito da rua?
    Enfim, os pedestres estão sendo expulsos das calçadas! Estas estão atravancadas de placas e cavaletes de publicidade, banners pendurados, com (ou sem) cabos de vassoura, lixos, entulhos e veículos automotores. Barão Geraldo, Distrito de Campinas, não foge à regra. Para constatar, basta um passeio pela sua região central.
    Caso você fique indignado, ao presenciar situações como essas, tome as medidas cidadãs possíveis. Na sua cidade, ligue para os Órgãos de Trânsito e Prefeitura, denunciando os fatos. Em Campinas, nas irregularidades de trânsito, ligue para a Empresa de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), fone-grátis 194 ou fone 323-21517 Caso a irregularidade persista, ligue para o fone-grátis 156, denuncie e peça providências à Prefeitura. Caso tarde uma solução para o problema, dirija-se ao Ouvidor Geral do Município. Em Campinas, pelos fones: 0800-77 27456 e 323-6379. Se nem assim for sanada a irregularidade, procure o Promotor de Habitação e Urbanismo, de sua cidade, levando a denúncia, por escrito, com fotos e/ou filmagens e/ou testemunha(s), além dos números de protocolos de denúncias à Prefeitura, bem como xerox dos comunicados por ela enviados. Em Campinas, o telefone das Promotorias é 325-11157. Se na sua cidade não existir a Promotoria de Habitação e Urbanismo, procure outro Promotor e informe-se.
     Para vermos nossos direitos respeitados e nossos anseios atendidos, é imperativo que levantemos nossos traseiros da cadeira e vamos à luta! Lembrem-se de que as conquistas só vêm com muita luta! Afinal, somos brasileiros e ninguém é brasileiro impunemente! Aliás, muitos privilegiados até que o são!

          TERRENOS COM MATAGAL: Se há um terreno próximo da sua casa, que representa um daqueles problemas crônicos de matagal, lixos e rejeitos, animais peçonhentos, esconderijo de assaltantes/estupradores, sobre o qual ninguém toma qualquer providência, você pode fazer o seguinte: (a) Escreva um relato do problema, cite os danos causados, os perigos gerados e tudo mais que julgar relevante. Ao final do relato, você pode escrever: "diante do exposto venho, portanto, pela presente, notificá-lo de que, caso o senhor persista nessa omissão crônica, pretendo responsabilizá-lo civilmente pelos referidos danos e obter do poder público a correspondente ordem que o obrigue às referidas providências, que passo a especificar". Estabeleça um prazo para o proprietário tomar as providências. (b) Vá ao Cartório de Registro de Documentos e solicite que o proprietário seja notificado extrajudicialmente. Há um custo de Cartório, para esta notificação. Menos dispendioso (embora menos eficiente) é o envio do documento, por meio de carta, ao proprietário, com A.R. (Aviso de Recebimento).

          TELEFONE: Em Campinas, caso necessite informação sobre um número telefônico, você pode ligar para 324-12444. O serviço é gratüito e executado pela Campinforma. Funciona de 2ª a 6ª feira, das 8 às 18 horas. Aos sábados, atende da 8 às 12 horas. Não funciona aos domingos e nos feriados.

          SERVIÇO: O Centro de Controle de Intoxicações de Campinas, instalado na UNICAMP, é referência para 42 municípios da região, além de dispor de um Laboratório de Toxicologia como referência nacional. Promove cursos específicos, abertos a alunos e profissionais da saúde, além de estágios e visitas. Oferece um Curso de Aprimoramento de Enfermagem em Toxicologia. Seu e-mail é [email protected]

©QueimadasUrbanas.bmd.br - Todos os direitos reservados.
Powered by