PRESERVAR O MEIO AMBIENTE É 10 RAZÕES PARA NÃO QUEIMAR
1. QUEIMAR É CRIME AMBIENTAL (LEI 9605, DE 12/2/1998). ESTA LEI PREVÊ PRISÃO E MULTA).
2. TODA FUMAÇA É MUITO DANOSA À SAÚDE (MAIS PARA CRIANÇAS, IDOSOS E ENFERMOS).
3. A FUMAÇA PREJUDICA A ATMOSFERA (DANIFICA A CAMADA DE OZÔNIO).
4. PORQUE TODOS TÊM DIREITO DE RESPIRAR AR E, NÃO, FUMAÇA E VENENOS.
5. NÃO HÁ NECESSIDADE DE QUEIMAR. HÁ ALTERNATIVAS CORRETAS E LEGAIS.
6. AFINAL, ONDE HÁ FOGO, HÁ FUMAÇA E ONDE HÁ FUMAÇA, HÁ POLUIÇÃO.
7. PORQUE ONDE HÁ POLUIÇÃO, HÁ MUITAS DOENÇAS E MORTES!
8. A QUEIMA TRANSFORMA O LIXO, QUE É DE UM, NUM PROBLEMA PARA TODOS.
9. PORQUE DE CADA GRUPO DE 2 OU 3 PESSOAS, 1 JÁ TEM DOENÇA RESPIRATÓRIA.
10.CERCA DE 4 MILHÕES DE CRIANÇAS MORREM NO MUNDO, A CADA ANO, DEVIDO À FUMAÇA DA QUEIMA DE LENHA, PARA COZINHAR (Estimativa do Banco Mundial, em 1992).

Painel apresentado no
I Congresso de Meio Ambiente - Paulínia 21 a 25/6/2004
QUEIMADAS URBANAS: FONTE DE POLUIÇÃO PERFEITAMENTE EVITÁVEL.

Edson Delattre
Departamento de Fisiologia e Biofísica, Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas.

    Apresentamos resultados de experiência de ação voluntária singular contra queimadas urbanas, em diversas áreas de Campinas, nos últimos sete anos. A poluição atmosférica derivada das queimadas, bem como das indústrias e da frota veicular, provoca aumento da morbidade e da mortalidade populacional, afetando mais intensamente crianças e idosos, além de pessoas com a saúde fragilizada. Embora a prática de queimadas urbanas seja disseminada em todos os extratos sócio-culturais, os mais vulneráveis e mais atingidos são as camadas pobres da periferia onde, não raro, até infantes ateiam fogo, imitando o comportamento adulto vigente. Nossa atividade, como voluntário, consiste em: (a) constatar e documentar queimadas; (b) esclarecer os infratores e demais envolvidos/atingidos a respeito das leis e de procedimentos alternativos de destinação/descarte do lixo, rejeitos etc; (c) distribuir informes e solicitar colaboração relativa aos procedimentos adequados; (d) extingüir a queimada, quando viável; (e) acionar Bombeiros, Guarda Municipal, Defesa Civil, conforme cada caso; (f) comunicar as irregularidades às autoridades competentes e solicitar providências. Atuamos nas áreas compreendidas pelos eixos radiais: (a) J. Chapadão-Amarais-São Martim; (b) J. Chapadão-Barão Geraldo e (c) J. Chapadão-Alto Taquaral e, em caráter eventual, vários outros locais. Atendemos a queimadas ocorridas em propriedades particulares (terrenos baldios, lixões clandestinos, quintais, chácaras, churrasqueiras, hortas, plantações, comércio, indústrias/empresas desativadas) e em áreas públicas (praças de esportes, escolas, fazendas, praças, ruas, rodovias, ferrovias desativadas). Queima-se praticamente tudo que é incinerável (v.g. móveis de madeira, de tecido e de plástico; pneus, papel, diferentes compostos sintéticos, árvores inteiras ou em partes, madeira, postes, dormentes, serragem, lixos doméstico, comercial e industrial; restos de culturas agrícolas ou de jardins, capinzais, bens domésticos avariados, vestimentas, calçados). As causas (identificadas ou presumidas) das queimadas são: asseio/limpeza/segurança; facilidade de se livrar do incômodo; ignorância; presença de fauna nociva; compulsão; cultura do fogo; vandalismo/certeza de impunidade/desprezo social; medida desesperada de sobrevivência; indiferença e omissão generalizadas; imitação infantil. Como fatores predisponentes para queimadas em Campinas pode-se citar: (a) ampla falta de educação ambiental dos munícipes, combinada com a miserabilidade de parcela expressiva da população; (b) combinação de vazios urbanos, destinados à especulação imobiliária, com áreas abandonadas e degradadas, tais como os leitos ferroviários, empresas/indústrias desativadas etc; (c) hábitos arraigados; (d) falta de providências oficiais.
Já são perceptíveis resultados positivos da ação voluntária. Assim, constatamos drástica redução das queimadas executadas em estabelecimentos e áreas públicas controladas, bem como redução em propriedades particulares. Cremos que parte desses resultados possa ser atribuído a: (a) infratores passaram a ter consciência de que alguém está exercendo vigilância; (b) conscientização; (c) atuação da Guarda Municipal, Polícia Civil, Vigilância Sanitária/Prefeitura, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Ouvidoria Pública do Estado. A urbanização e revitalização de áreas também pode ter contribuído. Obviamente, muitas queimadas continuam a ocorrer, mormente nas propriedades particulares. Jardineiros, serviçais e empresas terceirizadas de limpeza são, com freqüência, autores do ilícito. Há, também, pessoas que executam a queima de fios e pneus, para a extração e venda do conteúdo metálico. Outro ponto vulnerável decorre da ação imprevisível de piromaníacos ou vândalos, que reconhecidamente atuam em acostamentos, beiradas e canteiros centrais de estradas/rodovias, em encostas, morros, pastos, capinzais, bem como nos leitos abandonados de antigas ferrovias.
Urge, portanto, que os poderes públicos constituídos acordem e promovam ações preventivas e efetivas. A limpeza constante (corte e recolhimento imediato do capim) de tais áreas faz-se imperativo, como prevenção dessa prática de insanidade e/ou de vandalismo. Igualmente, entendemos que as Polícias Civil e Militar, além da Guarda Municipal, nos respectivos âmbitos de competências, devem agir no sentido de investigar, identificar e deter maníacos, queimadores e vândalos. Afinal, tanto queimadas quanto incêndios propositais representam crimes previstos em leis e devem merecer atenção das autoridades policiais.
Outras formas de participação da Prefeitura poderiam ser: (a) ação das equipes de controle da Dengue que identificariam, durante as visitas, além de criadouros de mosquito, locais de queimadas, que têm sido feitas, v.g., por determinados recicladores de lixo; (b) um caminhão-tanque de água em cada grande setor da área urbana (disque-queimada); (c) ação de brigadistas/vigilantes contra queimadas, distribuídos nos setores urbanos; (d) estudar meios de descarte de bens domésticos avariados (v.g. caçambas, locais apropriados para repasse, disque-fone descarte/reaproveitamento); (e) promover a utilização da Rádio Educativa Municipal FM, bem como de outros meios, na veiculação de vinhetas, apelos, campanhas maciças contra queimadas, inclusive com a divulgação de telefones disponíveis; (f) como trabalho de base, as escolas da rede municipal (e estadual) poderiam explorar o tema das queimadas urbanas em seus conteúdos programáticos, quando muitas crianças passariam da condição de observadores e imitadores das indevidas ações dos adultos, para a posição de críticos, vigilantes e propagadores do ideal antiqueimadas (artigo 193, inciso XV da Constituição Estadual: cabe ao Estado promover ações para a educação ambiental e a conscientização pública para a preservação, conservação e recuperação do meio ambiente) .
Assim, sugerimos esse conjunto de ações preventivas, defensivas, corretivas, coercitivas e punitivas que, em comum com as ações populares de voluntários e cidadãos, reverteriam o cenário reinante, de modo a converter as queimadas em exceções esporádicas ao invés de regra generalizada. Afinal, conforme disposto no artigo 191 da Constituição do Estado de São Paulo, o Estado e os Municípios providenciarão, com a participação da coletividade, a preservação, conservação, defesa, recuperação e melhoria do meio ambiente natural, artificial e do trabalho, atendidas as peculiaridades regionais e locais e em harmonia com o desenvolvimento social e econômico.

www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida! Acesse, para imprimir, além de obter mais informes sobre este e outros assuntos.

Resumo do painel apresentado na XIX Reunião Anual da FESBE (Federação das Sociedades de Biologia Experimental) - Águas de Lindóia, SP, 25-28/8/2004.

QUEIMADAS URBANAS: PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA. UMA AÇÃO VOLUNTÁRIA. Delattre, E. Depto de Fisiologia e Biofísica, I.B., UNICAMP, Campinas, SP.


    Queimadas urbanas são uma prática-crime freqüente, contribuindo para a degradação da qualidade do ar das grandes cidades, já atingidas pela poluição industrial e da frota de veículos. Em Campinas são executadas até cem queimadas diárias, dos mais variados compostos, naturais ou sintéticos, provocando reflexos imediatos no atendimento infantil dos Centros de Saúde e Prontos-Socorros. As queimadas geram: (a) material particulado (carvão) que contém, além do carbono, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, muitos deles com propriedades carcinogênicas (geradoras de câncer), como o benzopireno; (b) gases tóxicos (aldeídos, dióxido de enxofre, gás sulfídrico, óxidos de nitrogênio, monóxido de carbono, ozônio, furanos, dioxinas). Como conseqüência da POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA CRÔNICA constata-se maior ocorrência de diversas patologias cárdio-respiratórias (infartos, asma, rinite, bronquite, pneumonia), tumores malignos, abortos espontâneos, redução do peso de recém-nascidos, redução da fertilidade, redução do tempo de vida, com aumento da mortalidade. A poluição atmosférica aumenta, também, a ocorrência de raios e inundações. Considerando que a poluição gerada pelas queimadas é o componente de mais fácil controle e redução pela população, podendo repercutir de imediato na saúde e bem estar geral, decidimos empreender ações visando reduzir e/ou coibir a prática de queimar, em diversas áreas de Campinas. Os procedimentos adotados são: (1) vigilância permanente; (2) ações de esclarecimento; (3) extinção do fogo; (4) acionamento dos Bombeiros e/ou da Guarda Municipal; (5) registro de B.Os; (6) denúncias a Órgãos Públicos. Na grande maioria das ocorrências, há boa receptividade dos autores das queimadas, com cessação da prática de queimar. Não obstante, em algumas áreas públicas ou particulares as queimadas, ainda, não foram totalmente abolidas, obrigando à continuidade e diversificação das denúncias. Concluindo, CREMOS QUE O COMBATE INTENSIVO ÀS QUEIMADAS URBANAS SEJA UMA MEDIDA PROFILÁTICA (PREVENTIVA), DE BAIXO CUSTO E ALTA EFICÁCIA, DE VÁRIAS PATOLOGIAS QUE ACOMETEM ENORME PARCELA DA POPULAÇÃO, JUSTIFICANDO PLENAMENTE TODO INVESTIMENTO QUE SE FAÇA NESSE SENTIDO. www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço da saúde e da vida!

Resumo do painel apresentado na XIX Reunião Anual da FESBE (Federação das Sociedades de Biologia Experimental) - Águas de Lindóia, SP, 25-28/8/2004.

QUEIMADAS URBANAS: PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA. UMA AÇÃO VOLUNTÁRIA. Delattre, E. Depto de Fisiologia e Biofísica, I.B., UNICAMP, Campinas, SP.
Queimadas urbanas são uma prática-crime freqüente, contribuindo para a degradação da qualidade do ar das grandes cidades, já atingidas pela poluição industrial e da frota de veículos. Em Campinas são executadas até cem queimadas diárias, dos mais variados compostos, naturais ou sintéticos, provocando reflexos imediatos no atendimento infantil dos Centros de Saúde e Prontos-Socorros. As queimadas geram: (a) material particulado (carvão) que contém, além do carbono, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, muitos deles com propriedades carcinogênicas (geradoras de câncer), como o benzopireno; (b) gases tóxicos (aldeídos, dióxido de enxofre, gás sulfídrico, óxidos de nitrogênio, monóxido de carbono, ozônio, furanos, dioxinas). Como conseqüência da POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA CRÔNICA constata-se maior ocorrência de diversas patologias cárdio-respiratórias (infartos, asma, bronquite, rinite, pneumonia), tumores malignos, abortos espontâneos, redução do peso de recém-nascidos, redução da fertilidade, redução do tempo de vida, com aumento da mortalidade. A poluição atmosférica aumenta, também, a ocorrência de raios e inundações. Considerando que a poluição gerada pelas queimadas é o componente de mais fácil controle e redução pela população, podendo repercutir de imediato na saúde e bem estar geral, decidimos empreender ações visando reduzir e/ou coibir a prática de queimar, em diversas áreas de Campinas. Os procedimentos adotados são: (1) vigilância permanente; (2) ações de esclarecimento; (3) extinção do fogo; (4) acionamento dos Bombeiros e/ou da Guarda Municipal; (5) registro de B.Os; (6) denúncias a Órgãos Públicos. Na grande maioria das ocorrências, há boa receptividade dos autores das queimadas, com cessação da prática de queimar. Não obstante, em algumas áreas públicas ou particulares as queimadas, ainda, não foram totalmente abolidas, obrigando à continuidade e diversificação das denúncias. Concluindo, CREMOS QUE O COMBATE INTENSIVO ÀS QUEIMADAS URBANAS SEJA UMA MEDIDA PROFILÁTICA (PREVENTIVA), DE BAIXO CUSTO E ALTA EFICÁCIA, DE VÁRIAS PATOLOGIAS QUE ACOMETEM ENORME PARCELA DA POPULAÇÃO, JUSTIFICANDO PLENAMENTE TODO INVESTIMENTO QUE SE FAÇA NESSE SENTIDO. www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida!

Publicado no Caderno de Resumos do ENCONTRO SOBRE ALTERAÇÕES GLOBAIS - UNICAMP 18/6/2004

QUEIMADAS URBANAS EM CAMPINAS: Delattre, E. Depto de Fisiologia e Biofísica, Instituto de Biologia, UNICAMP, Campinas, SP. www.queimadasurbanas.bmd.br

   Queimadas urbanas são uma prática-crime freqüente, em grande parte dos municípios brasileiros, representando um componente importante na degradação da qualidade do ar das cidades, freqüentemente atingidas pela poluição industrial e da frota de veículos. Concorrem para essa situação fatores como: miserabilidade de ampla parcela da população; hábitos arraigados; falta de esclarecimentos quanto à ilegalidade e conseqüências dessa prática; falta de campanhas permanentes nas mídias; indiferença e omissão generalizadas; falta de vigilância/fiscalização, com conflitos de atribuições e competências (falta de integração dos órgãos ambientais, apesar da boa legislação); falta de ações preventivas e corretivas permanentes, por parte dos poderes públicos.
Monitoração por satélites demonstrou a ocorrência de 50 a 100 queimadas, diariamente, em Campinas, durante a estiagem, embora as queimadas ocorram no ano inteiro. As queimadas geram: (a) material particulado (carvão) que contém, além do carbono, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, muitos deles com propriedades carcinogênicas, como o benzopireno, benzoantraceno e benzofenantreno; (b) gases e outros elementos tóxicos (aldeídos, dióxido de enxofre, gás sulfídrico, óxidos de nitrogênio, monóxido de carbono, ozônio, furanos, dioxinas). A conseqüência imediata é a dramática elevação dos atendimentos de urgência em pneumologia pediátrica, nos Órgãos de Saúde do Município, em especial durante o inverno. As conseqüências mediadas pela poluição atmosférica crônica, sobre a população, têm sido extensamente demonstradas por pesquisadores/clínicos, com aumento da morbidade ?v.g. patologias cárdio-respiratórias (infarto, bronquite, asma, rinite, pneumonia), aborto espontâneo, redução do peso do recém-nascido, carcinomas, redução da fertilidade, inter aliia?. Igualmente, constata-se significativo aumento da mortalidade populacional, determinando redução da expectativa de vida. As queimadas são executadas tanto em áreas particulares (terrenos, quintais, chácaras, pátios/garagens, churrasqueiras, tambores), quanto em áreas públicas (fazendas militar ou experimental), escolas, ruas, calçadas, estradas/rodovias, acostamentos, encostas, canteiros centrais, ferrovias abandonadas, margens de córregos. Queimadas também são executadas em lixões/bota-foras, dos mais variados tamanhos, em áreas públicas ou particulares. Queima-se de tudo: móveis e utensílios domésticos avariados ou descartados, lixo doméstico, calçados, vestimentas, brinquedos, pneus, borrachas, papel, compostos sintéticos, grama, capim, sementes, rejeitos vegetais, árvores inteiras ou em partes, madeira, postes, troncos, serragem, papéis, rejeitos de oficinas etc. Os motivos (alegados ou presumidos) da queima são: medida desesperada de sobrevivência; asseio/limpeza/segurança; falha de providências oficiais; falta de recursos materiais; proliferação de fauna nociva; vandalismo; facilidade de se livrar do incômodo; ignorância; certeza da impunidade/desprezo social.
Considerando que a poluição gerada pelas queimadas é o componente de mais fácil controle, pela população, podendo repercutir de imediato na saúde e bem estar geral, decidimos, há cerca de sete anos, empreender ações legais e legítimas, visando reduzir e/ou coibir essa prática nociva e criminosa, em diversas áreas de Campinas (v.g. J. Chapadão, Distritos de Barão Geraldo e Sousas, Taquaral, Vila Costa e Silva e J. Santa Genebra, áreas às margens da Estrada dos Amarais e das Rodovias D. Pedro I e Gal Milton Tavares Lima (Tapetão), bem como outras, esporadicamente. Os procedimentos adotados são: (1) vigilância permanente (visual/olfativa), quanto às emissões de fumaça; (2) atuação junto a igrejas/associações; (3) ações de esclarecimento, oral e escrito, dos autores das queimadas, seus superiores, vizinhos e transeuntes; (4) filmagens e/ou fotos; (5) extinção do fogo, quando viável; (6) acionamento dos Bombeiros e/ou da Guarda Municipal; (7) ações difusas no pós-fato de autor não-determinado; (8) registro de B. Os., no Distrito Policial da área, quando pertinente, conforme cada caso; (9) denúncias à Prefeitura; (10) denúncias à Ouvidoria Pública, da Secretaria da Justiça, SP, em certos casos; (11) entrevistas nas mídias; (12) assessoria a outro voluntário. Na grande maioria das ocorrências atendidas, há boa receptividade, com cessação da prática de queimar. Entretanto, nos casos em que as queimadas voltam a ser feitas, algumas das medidas acima são, progressivamente, tomadas. Após reiteradas intervenções, em todas as escolas as queimadas quase cessaram. Cremos que parte dos resultados positivos deve ser atribuído ao fato de os infratores perceberem que alguém está exercendo vigilância, aliado à conscientização. Também contribuem para a resolução do problema os processos de urbanização e revitalização de áreas, bem como o passamento de antigos queimadores. Contudo, a questão requer vigilância permanente sobre as pessoas que queimam, bem como sobre aqueles que, ainda, não foram surpreendidos durante o ato de queimar. A prática de queimadas é atávica, faz parte da cultura do fogo, principalmente dos mais velhos, e o combate a ela requer maior participação da mídia rádio-televisiva, ações educativas nas escolas, igrejas, associações de bairros, clubes, entre outros locais possíveis. Problemas em aberto referem-se a: (a) alguns recicladores de lixo, que queimam sobras; (b) queimadores de pneus; (c) ação fortuita (e de difícil percepção) de piromaníacos em: (c1) capinzais que medram em barrancos, acostamentos, ferrovias e outras áreas abandonadas; (c2) no capim roçado, acumulado e não recolhido, em áreas públicas e particulares; (d) insuficiência da ação da Prefeitura a respeito do elevadíssimo número de terrenos com matagal e lixo, sem calçada/alambrado. Conclusão: Cremos que o combate intensivo às queimadas urbanas seja uma medida profilática, de baixo custo e alta eficácia, de várias patologias que acometem enorme parcela da população, justificando plenamente todo investimento que se faça nesse sentido. Portanto, já tarda a maior participação dos poderes constituídos, com ações preventivas, corretivas e coercitivas, de caráter efetivo. Afinal, a Constituição Brasileira (artigo 225) estabelece que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

FAZER QUEIMADA É CRIME! NOSSA ATMOSFERA NÃO É LATA DE LIXO! FUMAÇA É ZERO!
TUDO QUE SE FAZ PARA A TERRA, SE FAZ PARA OS FILHOS DA TERRA (Cacique Seattle)
Na condição de morador em CAMPINAS você deve ter notado quantas queimadas são feitas, diariamente, por aqui. A existência de grande número de terrenos e áreas com matagal é um dos fatores responsáveis. Ruas, calçadas, construções, espaços abandonados/degradados, vias férreas desativadas, são outro fator. Neles, lixo, galhos de árvores, folhas, pneus, plásticos, borrachas, roupas, calçados e toda sorte de imundície é despejada. Não bastasse isso, vândalos, piromaníacos ou pessoas ligadas ao dono do imóvel, ateiam fogo nessa imundície, ou no capinzal. Ao chegar em casa, você já deve ter tido o desprazer de encontrar os subprodutos das queimadas criminosas. É cheiro de fumaça no ar, nas roupas do varal, é fuligem pelo quintal, enfim, uma nojeira geral. O que você, talvez, não saiba é que é proibido fazer qualquer tipo de queimada no Município de CAMPINAS (a exceção legal, infelizmente, são queimadas de canaviais, também muito nocivas). Diversas leis proíbem queimadas. Conseqüentemente, não podemos ficar inertes, apenas olhando e inalando lixo tóxico. Rebele-se contra a poluição e passe adiante estas informações. O QUE FAZER?
Tire xerox deste(s) folheto(s) e dê para seus vizinhos, conhecidos, parentes, colegas, amigos, professores(as) de Biologia, Ciências, Química, Português e demais. Solicite-lhes que o assunto QUEIMADAS/POLUIÇÃO DO AR seja discutido e explorado, nas várias disciplinas, em sua Escola. Caso observe alguém queimando, entregue-lhe uma cópia e o esclareça sobre o assunto. Se preferir, modifique os dizeres, aperfeiçoe, faça uma colagem, crie um texto a seu modo e bola prá frente! De um jeito, ou de outro, participe desta corrente! Caso contrário, a vítima da poluição poderá ser você e/ou a sua família!
Se tiver capim, mato, galhos, folhas, rejeitos, se possível, faça picadinho, acondicione em sacos, para o lixeiro levar, ou alugue uma caçamba. Também, pode-se enterrar ou misturar com terra, para decomposição.
Durante queimadas de capinzal, matagal ou lixão/bota-fora, você pode ligar para os Bombeiros (fone-grátis 193, a qualquer hora, ligação gratuita, mesmo do orelhão). Queimadas feitas entre 1? de maio e 30 de setembro, em quintais, chácaras, calçadas, pátios, garagens, comércio, ruas ou outras áreas, estando o autor da queimada no local, devem ser denunciadas, imediatamente, à Guarda Municipal, pelo fone-grátis 1532.
Se puder (sem invadir propriedades fechadas) e se não for correr riscos, apague o fogo. Não há nada de ilegal nesta atitude! JOGAR ÁGUA EM QUEIMADAS É UM ATO DE CIDADANIA!
Em caso de queimadas repetidas por determinada pessoa (e já advertida sobre a irregularidade), vá ao Distrito Policial da área e solicite a feitura de um B.O. (boletim de ocorrência), por crime de agressão ao meio ambiente (artigo 54, da Lei Federal n? 9605, de fevereiro de 1998, que diz “causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana”.....). Se a pessoa voltar a queimar, faça novos B.Os e solicite, ao Delegado, a instauração de inquérito policial.
O preço da liberdade é a eterna vigilância (John F. Kennedy)
Lixões/bota-foras; sucateiros e ferros-velhos que queimam fios de cobre; recicladores que queimam de tudo; terrenos, áreas e locais em condições irregulares (sem muro ou alambrado, sem calçada, com mato, depósito de lixo, rejeitos ou entulho) devem ser denunciados à Prefeitura, pelo fone-grátis 156. Fábricas/indústrias poluidoras devem ser denunciadas à Regional da CETESB (FONE 32724366), bem como veículos a diesel, com excesso de fumaça preta, devem ser denunciados à CETESB, pelo fone-grátis 0800-11-35-60 (das 8 às 17 horas, de 2ª a 6ª feira). Neste caso, forneça o modelo/placas/cidade do veículo, local e dia/hora em que trafegava.
O QUE NÃO FAZER!
Não jogue lixo, papel, madeiras, sofás, móveis, pneus/borrachas/plásticos, galhos, folhas, capim, em terrenos, ruas, calçadas ou áreas baldias. Não acumule capim, folhas etc, pois alguém pode vir a por fogo. Não jogue lixo próximo de sua casa, pois ele poderá retornar para você e sua família, na forma de fumaça tóxica. Também não permita que outros joguem o lixo alí. Não queime nada! Ninguém tem o direito de fabricar e exportar fumaça, para que as demais pessoas tenham que respirar esse tipo de lixo gasoso. Não permita que coloquem fogo nas proximidades de sua casa, de sua família, de seus filhos, já nascidos ou em gestação. Caso decida apagar o fogo, não invada propriedades fechadas e não corra riscos. Caso constate queimadas, não se omita. Não tolere a poluição, não permaneça indiferente. Tome as providências possíveis, pois toda fumaça é nociva. POLUIÇÃO É IGUAL A DOENÇAS E MORTES !
Já se comprovou que grandes concentrações de poluentes, atuando cronicamente, podem provocar (ou desencadear) : (a) maior mortalidade; (b) maior morbidade (doenças). Assim, a poluição crônica e intensa provoca: (c)disrritmias, ataques cardíacos; (d) mais abortos espontâneos; (e) redução do peso do recém-nascido; (f) doenças respiratórias (asma, bronquite, rinite, pneumonias etc), (g) menor fertilidade. Tudo isso, além do desconforto de se respirar um ar com fumaça e mau cheiro! A fumaça pode até desencadear crises de asma e matar. Crianças e idosos são as maiores vítimas da poluição atmosférica e, com maior intensidade, no inverno. Também, são mais vulneráveis à poluição os doentes ou os pacientes que receberam transplante de órgãos, os quais podem estar bem próximos das queimadas, sem que se saiba. Até a tinta dos papéis, latas etc (queimados e transformados em fumaça), por conter metais pesados (cádmio, chumbo, níquel, cromo etc), gera enormes danos à saúde!
Não bastassem tantos prejuízos, pesquisadores brasileiros demonstraram, há poucos anos, que nas cidades bastante poluídas (inclusive Campinas) ocorre muito maior número de raios e de inundações. Assim, não faça de conta que a poluição não é com você. Em parte, nós somos aquilo que respiramos.
EM RESUMO: QUEM ATEIA FOGO ESPALHA DOENÇAS E SEMEIA A MORTE!
Obs: PROVOCAR INCÊNDIO É CRIME INAFIANÇÁVEL (FICA PRESO DURANTE O INQUÉRITO E CONTINUA PRESO SE FOR CONDENADO). Artigo 250 do Código Penal: “Causar incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem: Pena = reclusão, de 3 a 6 anos, e multa”.
Corrente PELO DIREITO DE RESPIRAR Ação voluntária contra queimadas urbanas.
www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida! Acesse, imprima,espalhe!
Folhetos
Congressos

• Encontro Interno sobre Pesquisas Ambientais na Região Metropolitana de Campinas

UNICAMP - 7 e 8 de agosto de 2003

Resumo do trabalho apresentado

AÇÃO VOLUNTÁRIA CONTRA QUEIMADAS URBANAS EM CAMPINAS: ATITUDES E RESULTADOS

Edson Delattre, voluntário.

Instituto de Biologia, Unicamp, [email protected]

 

    Queimadas urbanas são um problema ambiental, de saúde pública e sócio-econômico, em inúmeras cidades brasileiras. As conseqüências vão desde a degradação ambiental, com aumento da morbidade e da mortalidade populacional, até acidentes de trânsito e desligamentos da rede elétrica. Campinas não foge à regra, apresentando, diariamente, durante a estiagem, entre 50 e 100 focos de queimadas. Queima-se de tudo, em todos os quadrantes da cidade, sendo as queimadas promovidas por pessoas integrantes de todos os extratos econômico-culturais, além de instituições públicas, empresas e comércio. A motivação para a queima vai desde puro ato de vandalismo, passando pela ignorância, desprezo social, atavismo, lei do menor esforço, pretexto de limpeza e asseio, até medida desesperada para subsistência. Diante desse quadro, há cerca de seis anos, começamos a empreender ações visando esclarecer os praticantes de queimadas, quanto a: (a) ilegalidade de seu ato; (b) malefícios para o meio ambiente, em especial, a população; (c) alternativas adequadas de descarte, limpeza, etc; (d) procedimentos, legítimos e legais, de cidadania. Para essa finalidade, fornecemos um boletim de esclarecimentos, além de xerox de artigos sobre queimadas, publicados na imprensa local. Para queimadores inveterados, identificados, bem como para episódios de maior monta, os procedimentos têm sido, conforme o caso: (a) comunicado à Defesa Civil; (b) acionamento da Guarda Municipal; (c) feitura de boletim de ocorrência, no Distrito Policial da área; (d) denúncia à Prefeitura, pelo fone 156; (e) envio de cartas à imprensa; (f) denúncia à Ouvidoria do Estado. Dependendo da situação, são feitas filmagens e fotos, além de ação imediata, no sentido de apagar as chamas. Também é acionado o Corpo de Bombeiros, quando aplicável tal procedimento. A área de atuação abrange: Barão Geraldo; J. Chapadão; Taquaral; V. Costa e Silva; Estrada dos Amarais e imediações desses locais. Resultados positivos são freqüentes, com mudanças de comportamento da maioria dos queimadores, que reduzem drasticamente ou, aparentemente, abandonam a prática de queimadas. Não obstante, o problema requer vigilância permanente sobre as pessoas que queimam, bem como, sobre aqueles que, ainda, não foram surpreendidos durante o ato de queimar. A prática de queimadas é atávica, faz parte da cultura do fogo, principalmente dos mais velhos, e o combate a ela requer maior participação da mídia rádio-televisiva, ações educativas nas escolas, igrejas, associações de bairros, clubes, entre outros locais possíveis. Requer, também, ações preventivo-educativas e coercitivas eficientes do poder público, em especial, dos órgãos ambientais. Cabem à Prefeitura medidas preventivas rotineiras, como roçar e recolher o capim roçado, nas vias públicas, além de atuar, efetivamente, na manutenção da limpeza de terrenos e áreas particulares abandonadas. Enfim, faz-se necessária uma mudança social, na forma de olhar as queimadas e a poluição; de um olhar indiferente, conformista, tolerante e omisso, para um olhar de espanto, indignação e atitudes.

www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida! Acesse, para obter mais informações sobre este e outros assuntos.

BEBÊS SOFREM AMEAÇAS DE MORTE


Um nenezinho dorme, no berço. De repente, um ser repugnante, sinistro, sujo, mau-cheiroso, nojento e maligno entra, silenciosamente, na casa, invade o quarto e se apodera do corpinho indefeso desse anjinho. Invade o seu corpo, se dissolve no sangue, se espalha, contamina tudo por dentro. Cenas de um filme de terror? Até poderia ser, mas, infelizmente, é o que vem ocorrendo na vida real, sempre que alguém faz uma queimada. Muitas pessoas queimam lixo, roupas, calçados, móveis velhos, sofás, papéis, plásticos, galhos, folhas, capim, pneus e tudo mais. A fumaça se espalha, entra nas casas, apartamentos, barracos, e todos respiram. Você já imaginou, um nenezinho, de poucos dias de vida, respirando e respirando essa fumaça, que contém dezenas de substâncias tóxicas, venenos mortais que penetram no seu sangue? Responda: você acha isso justo? É humano? É correto? Isso é necessário? Você acha que é assim que nós devemos receber e tratar os bebezinhos? E as demais crianças? E os jovens, e os adultos? É assim que devemos tratar os avozinhos que, muitas vezes, já estão com algum problema de saúde e, também, vão respirar fumaça? E os doentes? E os transplantados?
Você já pensou no que poderá acontecer, horas depois da queimada, durante a madrugada? A mãezinha, aflita, precisando levar o nenê, correndo, para um atendimento médico de urgência, porque ele tem dificuldade de respirar? E se estiver chovendo? E se o atendimento demorar? E se, e se, e se....? Quantos imprevistos, quanto desespero! Certamente, você já soube de um caso parecido. E pensar que nada disso deveria estar acontecendo. Bastaria responsabilidade e a colaboração de todos. Portanto, não seja você um dos responsáveis por esse filme de horror!
Qualquer um pode responder: o que é mais agradável, respirar ar de boa qualidade ou ficar sentindo cheiro de fumaça?
Milhões de pessoas no mundo, todos os anos, adoecem e morrem, por respirarem fumaça. A poluição do ar provoca muitas doenças (bronquite/asma; rinites; pneumonias; arritmias cardíacas; infartos; vários tipos de câncer; menor fertilidade), além de reduzir o tempo de vida.
No Distrito de Souzas (Campinas), no início de 2004, uma menininha, de apenas quatro meses, foi intoxicada pela fumaça das queimadas de um bota-fora e de um terreno, ambos repletos de capim, lixos e rejeitos. Há poucos anos, uma pessoa morreu, em Campinas, poucas horas depois de respirar a fumaça de uma queimada e ser levada, às pressas, para o hospital. Sofria de bronquite e foi sufocada pela fumaça. Assim como elas, quantas pessoas a fumaça já intoxicou e, até, matou, em Campinas?
A fumaça é o lixo em forma de gases e de partículas visíveis e invisíveis. FUMAÇA É LIXO, FUMAÇA É VENENO! Da mesma maneira que não permitimos que joguem lixo dentro da caixa de água de nossas casas, não devemos permitir que joguem fumaça em nosso AR.
É por tudo isso que fazer queimada e poluir é crime ambiental (Lei Federal 9605, artigo 54). Qualquer adulto pode ir à Delegacia e registrar um B.O. contra a pessoa ou empresa que faz queimadas indevidas, além de pedir providências às autoridades. Ninguém tem o direito de produzir e espalhar fumaça, para os outros respirarem.
Terrenos com mato devem ser roçados, nunca queimados. Quanto ao lixo doméstico, o lixeiro recolhe. Folhas podem ser enterradas ou ensacadas. Plásticos, papéis, pneus, além de outros materiais, são recicláveis.
Resumindo: Não jogue seu lixo e objetos em terrenos, ruas, córregos e outras áreas. Nunca queime nada. Converse com quem está queimando e o esclareça sobre os malefícios e a ilegalidade do ato de queimar. Se a pessoa voltar a queimar, registre um B.O., na Delegacia. Em Campinas, de 1o de maio a 30 de setembro, você pode ligar para a Guarda Municipal (fone 1532) e pedir providências.
Preservar a natureza é preservar a vida. O ar é parte fundamental da natureza.
Portanto, queimar é agredir o meio ambiente, é ameaçar a saúde e a vida de todos os seres vivos. Quem queima espalha doenças e semeia a morte! Afinal, "Tudo que se faz para a Terra, se faz para os filhos da Terra" (Cacique Seattle).
QUALQUER FUMAÇA É UMA AMEAÇA DE MORTE! QUEIMAR É CRIME!
DIGA NÃO A TODAS AS QUEIMADAS!
Ação voluntária contra queimadas urbanas. Para a saúde e o bem estar geral, passe adiante estas informações. www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida! Acesse, tire cópias deste folheto, distribua, contribuindo para o bem estar de todos.

IV Jornada Científica da AUGM (Asociación de Universidades GRUPO MONTEVIDEO) sobre Meio Ambiente
UNICAMP - 28 a 31 de outubro de 2001

Resumo do trabalho apresentado


CAMPINAS EM CHAMAS (E EM FUMAÇA): UMA EXPERIÊNCIA DE TRABALHO VOLUNTÁRIO CONTRA QUEIMADAS

Edson Delattre, voluntário.

Departamento de Fisiologia e Biofísica, Instituto de Biologia, Unicamp, Campinas SP.


    Apresentamos resultados de experiência de ação voluntária contra queimadas no Distrito de Barão Geraldo e em outras áreas de Campinas. Nossa atividade consiste em (a) constatar, fotografar e filmar queimadas, quando necessário/adequado; (b) esclarecer sobre a proibição, riscos e malefícios dessa prática: (c) distribuir informes e solicitar colaboração; (d) comunicar as autoridades competentes e acionar Bombeiros. Em três anos, atuamos em queimadas ocorridas em: (a) propriedades particulares (terrenos baldios, quintais, chácaras, haras, hortas, plantações, comércio, churrasqueira, condomínio fechado, (b) áreas públicas (praças de esportes, escolas de 1?, 2? e 3? grau, área militar, fazenda experimental, praças, acostamentos e canteiros centrais de rodovias e avenidas, lixões, calçadas, ruas e sarjetas). Queima-se praticamente tudo que é incinerável (v.g. móveis de madeira e plástico, pneus, lixo doméstico, restos de culturas agrícolas ou de jardins, bens domésticos avariados, rejeitos industriais, inter aliia. Após reiteradas intervenções, as queimadas em todas as escolas, aparentemente, cessaram. Na área militar e na fazenda experimental as inúmeras denúncias ainda deverão surtir efeito. Em outros locais, cremos que parte dos resultados positivos deve ser atribuído ao fato de os infratores passarem a ter consciência de que alguém está exercendo vigilância, aliado à conscientização. Outrossim, urge que os poderes constituídos promovam ações preventivas e efetivas.

www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida! Acesse, para obter mais informações sobre este e outros assuntos

PEDIDO DE COLABORAÇÃO EM PRÓL DO MEIO AMBIENTE E DA SAÚDE

SOLICITAMOS SUA VALIOSA COLABORAÇÃO EM FAVOR DA SAÚDE E DO BEM ESTAR DE TODOS (INCLUSIVE SEUS E DOS SEUS FAMILIARES, AMIGOS, VIZINHOS ETC), BEM COMO EM FAVOR DO MEIO AMBIENTE.

COMO COLABORAR?
1) NÃO QUEIMANDO NADA (FOLHAS/GALHOS, CAPIM, MADEIRAS, LIXO, PAPÉIS, MÓVEIS, CALÇADOS, ROUPAS, CABOS E FIOS ELÉTRICOS, PNEUS, REJEITOS DE QUALQUER ESPÉCIE, SOBRAS ETC).
2) NÃO ACUMULANDO FOLHAS, CAPIM, GALHOS, REJEITOS, QUE POSSAM SER QUEIMADOS POR OUTRAS PESSOAS.
3) COLOCANDO O SACO DE LIXO NO LOCAL CORRETO, PARA A COLETA.
4) NÃO JOGANDO OS MATERIAIS ACIMA EM ÁREAS BALDIAS, ABANDONADAS, LIXÕES, BEM COMO EM PRAÇAS, RUAS, CALÇADAS, SARJETAS, BOCAS DE LOBO/BUEIROS, MARGENS DE CÓRREGOS, ACOSTAMENTOS ETC, ONDE ALGUÉM PODERÁ QUEIMÁ-LOS.
5) ENSACANDO OU ENTERRANDO OS REJEITOS VEGETAIS.
6) LENDO OS DEMAIS INFORMES E PASSANDO ADIANTE AS INFORMAÇÕES, PARA OS FAMILIARES, VIZINHOS, AMIGOS, COLEGAS, PROFESSORES, ALUNOS, IGREJAS, CLUBES, ASSOCIAÇÕES DE MORADORES ETC.

VANTAGENS EM COLABORAR
1) AR PURO OU AR DE MELHOR QUALIDADE.
2) MAIS CONFORTO, MAIS SAÚDE, MENOS DOENÇAS, MENOS MORTES, MAIS FELICIDADE.
3) MENOS IDAS AOS ÓRGÃOS DE SAÚDE E MENORES GASTOS COM REMÉDIOS.
4) MENOS PROBLEMAS COM OS ÓRGÃOS POLICIAIS E DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL.
5) CONSCIÊNCIA CIDADÃ DO DEVER CUMPRIDO E DO RESPEITO ÀS LEIS E À VIDA.

Ação voluntária contra as queimadas urbanas. MUITO OBRIGADO PELA SUA COLABORAÇÃO
www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida! Visite, obtenha novos informes e imprima este folheto, para distribuição.

PEDIDO DE COLABORAÇÃO EM PRÓL DO MEIO AMBIENTE E DA SAÚDE

SOLICITAMOS SUA VALIOSA COLABORAÇÃO EM FAVOR DA SAÚDE E DO BEM ESTAR DE TODOS (INCLUSIVE SEUS E DOS SEUS FAMILIARES, AMIGOS, VIZINHOS ETC), BEM COMO EM FAVOR DO MEIO AMBIENTE.

COMO COLABORAR?
1) NÃO QUEIMANDO NADA (FOLHAS/GALHOS, CAPIM, MADEIRAS, LIXO, PAPÉIS, MÓVEIS, CALÇADOS, ROUPAS, CABOS E FIOS ELÉTRICOS, PNEUS, REJEITOS DE QUALQUER ESPÉCIE, SOBRAS ETC).
2) NÃO ACUMULANDO FOLHAS, CAPIM, GALHOS, REJEITOS, QUE POSSAM SER QUEIMADOS POR OUTRAS PESSOAS.
3) COLOCANDO O SACO DE LIXO NO LOCAL CORRETO, PARA A COLETA.
4) NÃO JOGANDO OS MATERIAIS ACIMA EM ÁREAS BALDIAS, ABANDONADAS, LIXÕES, BEM COMO EM PRAÇAS, RUAS, CALÇADAS, SARJETAS, BOCAS DE LOBO/BUEIROS, MARGENS DE CÓRREGOS, ACOSTAMENTOS ETC, ONDE ALGUÉM PODERÁ QUEIMÁ-LOS.
5) ENSACANDO OU ENTERRANDO OS REJEITOS VEGETAIS.
6) LENDO OS DEMAIS INFORMES E PASSANDO ADIANTE AS INFORMAÇÕES, PARA OS FAMILIARES, VIZINHOS, AMIGOS, COLEGAS, PROFESSORES, ALUNOS, IGREJAS, CLUBES, ASSOCIAÇÕES DE MORADORES ETC.

VANTAGENS EM COLABORAR
1) AR PURO OU AR DE MELHOR QUALIDADE.
2) MAIS CONFORTO, MAIS SAÚDE, MENOS DOENÇAS, MENOS MORTES, MAIS FELICIDADE.
3) MENOS IDAS AOS ÓRGÃOS DE SAÚDE E MENORES GASTOS COM REMÉDIOS.
4) MENOS PROBLEMAS COM OS ÓRGÃOS POLICIAIS E DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL.
5) CONSCIÊNCIA CIDADÃ DO DEVER CUMPRIDO E DO RESPEITO ÀS LEIS E À VIDA.
Ação voluntária contra as queimadas urbanas. MUITO OBRIGADO PELA SUA COLABORAÇÃO
www.queimadasurbanas.bmd.br Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida! Visite, obtenha novos informes e imprima este folheto, para distribuição.

Campinas
Londrina
                                                          QUEIMADAS EM LONDRINA

FAZER QUEIMADA É CRIME! NOSSA ATMOSFERA NÃO É LATA DE LIXO
TUDO QUE SE FAZ PARA A TERRA, SE FAZ PARA OS FILHOS DA TERRA              (CACIQUE SEATTLE).

    Na condição de MORADOR DE LONDRINA, você já deve ter observado queimadas no perímetro urbano, ou ter visto as cinzas e carvão que restaram. A existência de terrenos e áreas de matagal é um dos fatores responsáveis. Ruas, calçadas, construções e espaços abandonados/degradados são outro fator. Neles, lixo, galhos de árvores, folhas e demais rejeitos, animais mortos, pneus, plásticos, papéis, lâmpadas fluorescentes e toda sorte de imundície é despejada. Não bastasse isso, vândalos, piromaníacos ou pessoas ligadas ao dono do imóvel, ateiam fogo nessa imundície, ou no capinzal.

    Ao chegar em casa, você já deve ter tido o desprazer de encontrar os subprodutos das queimadas criminosas. É cheiro de fumaça no ar, nas roupas do varal, é fuligem pelo quintal, enfim, uma nojeira geral. O que você, talvez, não saiba é que é proibido fazer queimada no Município de Londrina. Até mesmo quando feitas no próprio quintal ou chácara, as queimadas são crime ambiental. Igualmente, nas áreas públicas. Diversas leis proíbem queimadas, incluindo-se o Código de Posturas do Município de Londrina (artigo 121 da 5ª seção). Também, a Lei Federal n? 9 605, de 12/2/1998, que afirma, no artigo 54, ser crime “causar poluição de qualquer natureza, em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana...”. Como está amplamente comprovado que todas as fumaças provocam efeitos nocivos à saúde, podendo até matar, QUEIMAR, PORTANTO, É CRIME! Também já se demonstrou que, mesmo em baixas concentrações, os poluentes atmosféricos prejudicam a saúde. Conseqüentemente, não podemos ficar inertes, apenas olhando e inalando lixo tóxico.

    Sendo assim, rebele-se contra a poluição e passe adiante estas informações. Tire xerox deste(s) folheto(s) e dê para seus vizinhos, conhecidos, parentes, colegas, amigos, professores(as) de Biologia, Ciências, Química, Português e demais. Solicite-lhes que o assunto QUEIMADAS/POLUIÇÃO DO AR seja discutido e explorado, nas várias disciplinas, em sua Escola. Caso observe alguém queimando, entregue-lhe uma cópia e o esclareça sobre o assunto. Se preferir, modifique os dizeres, aperfeiçoe, faça uma colagem, crie um texto a seu modo e bola prá frente! De um jeito, ou de outro, participe desta corrente! Caso contrário, a vítima da poluição poderá ser você e/ou a sua família!

                                                                   O QUE FAZER?

    Durante queimadas de capinzal, matagal ou lixão/bota-fora, havendo risco de o fogo atingir construções, instalações, rede elétrica, telefônica, cabos de comunicação ou outro bem, ligue para os Bombeiros (fone 193, a qualquer hora, ligação gratuita, mesmo do orelhão). Nos demais casos, ligue para a SEMA (fone: 33 41 96 60). Casos repetitivos de queimadas podem ser denunciados na Prefeitura. Outro contato possível, para casos que não se resolvem, é o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), pelo fone 33 23 87 91.

    Em caso de queimadas repetidas por determinada pessoa (e já advertida sobre a irregularidade), vá ao Distrito Policial da área e solicite a feitura de um B.O. (boletim de ocorrência), por crime de agressão ao meio ambiente (artigo 54, da Lei Federal n? 9 605, de 12 de fevereiro de 1998, que reza ser crime “causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana...”). Se a pessoa voltar a queimar, faça novos B. Os e solicite, ao Delegado, a instauração de inquérito policial.

                                  O preço da liberdade é a eterna vigilância. (John F. Kennedy)

    Lixões, sucateiros e ferros-velhos que queimam fios de cobre; terrenos, áreas e locais em condições irregulares (sem muro ou alambrado, sem calçada, com mato, depósito de lixo, rejeitos ou entulho) devem ser denunciados à Prefeitura. Igualmente, queimadas de rejeitos em garagens, serrarias, marcenarias etc. Nestes casos, as medidas citadas acima também podem ser executadas.

                                                                   O QUE NÃO FAZER!

    Não jogue lixo, papel, madeiras, sofás, móveis, galhos, folhas, capim, em terrenos, ruas, calçadas ou áreas baldias; faça picadinho, acondicione em sacos, para o lixeiro levar, ou alugue uma caçamba. Vegetais também podem ser enterrados ou cobertos de terra, para fertilizarem o solo. Se você acumular lixo próximo de sua casa, ele poderá retornar para você e sua família, na forma de fumaça tóxica. Não queime nada! Ninguém tem o direito de fabricar e exportar fumaça, para que as demais pessoas tenham que respirar esse tipo de lixo gasoso. Não permita que coloquem fogo nas proximidades de sua casa, de sua família, de seus filhos, já nascidos ou em gestação. Se puder, sem correr riscos, e sem invadir propriedades, apague o fogo. A fumaça pode até desencadear crises de asma e matar. Crianças e idosos são as maiores vítimas da poluição atmosférica e, com maior intensidade, no inverno. Também, são mais vulneráveis à poluição os doentes ou os pacientes que receberam transplante de órgãos, os quais podem estar bem próximo das queimadas, sem que se saiba. Assim, não faça de conta que a poluição não é com você. Em parte, nós somos aquilo que respiramos.

                             POLUIÇÃO É SINÔNIMO DE DOENÇAS E DE MORTES!

    Já se comprovou que grandes concentrações de poluentes, atuando cronicamente, podem provocar ou desencadear: (a) maior mortalidade; (b) maior morbidade (doenças). Assim, a poluição crônica e intensa provoca: (c) mais arritmias e ataques cardíacos; (d) mais abortos espontâneos; (e) redução do peso do recém-nascido; (f) doenças respiratórias (asma/bronquite, rinite, sinusite, pneumonias etc); (g) tumores malignos. Tudo isso, além do desconforto de se respirar um ar com fumaça e mau cheiro! Não bastassem tantos danos, pesquisadores brasileiros demonstraram, há poucos anos, que nas cidades bastante poluídas ocorre muito maior número de raios e de inundações.

    Portanto, MAIOR POLUIÇÃO PROVOCA MAIS DOENÇAS E MAIS MORTES!

    Assim, não se omita, não seja conivente. Seja cidadão! Informe-se, esclareça quem não sabe, cumpra com os seus deveres e exija os seus direitos! O MEIO AMBIENTE é a nossa GRANDE-CASA! Não permita que emporcalhem essa CASA! O ser humano foi concebido para respirar AR e, não, fumaça. Tem o direito de respirAR AR e, não, fumaça!

           EM RESUMO: QUEM ATEIA FOGO ESPALHA DOENÇAS E SEMEIA A MORTE!

Obs: PROVOCAR INCÊNDIO É CRIME INAFIANÇÁVEL (FICA PRESO DURANTE O INQUÉRITO E CONTINUA PRESO SE FOR CONDENADO). Artigo 250 do Código Penal: “Causar incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem: Pena = reclusão, de 3 a 6 anos, e multa”.
    Ação voluntária contra queimadas urbanas. Corrente PELO DIREITO DE RESPIRAR
Para obter mais informações sobre: queimadas, fumaça e seus malefícios, leis ambientais, dicas de saúde, tabagismo etc, visite www.queimadasurbanas.bmd.br . Um site a serviço do meio ambiente, da saúde e da vida.

Londrina
Trabalho apresentado no International Congress on Environmental Planning and Management: Environmental Challenges of Urbanization. September 11 – 15 Hotel Nacional – Brasilia – Brazil.

UM SITE COMO INSTRUMENTO DE LUTA CONTRA AS QUEIMADAS URBANAS


Edson Delattre, Depto de Fisiologia e Biofísica, IB, UNICAMP.

   Nosso objetivo é apresentar um site, como ferramenta de trabalho contra as queimadas urbanas, que representam uma importante fonte antrópica de poluição atmosférica, em um grande número de cidades brasileiras.
   Em Campinas (SP), pessoas de todos os extratos sócio-econômicos e culturais queimam de tudo, durante o ano todo. Há oito anos, vimos atuando, voluntariamente, contra essas queimadas em Campinas e, eventualmente, em Londrina (PR). Nossa atividade consiste em: (a) prevenir a ocorrência de queimadas, instruindo pessoas sobre seus vários aspectos; (b) detectar, documentar e apagar queimadas, quando viável; (c) fornecer folhetos explicativos aos indivíduos “queimadores”, vizinhos etc; (d) comunicar às autoridades e pedir providências; (e) expor o problema nas mídias e (f) apresentar os resultados em Congressos.
   Resultados positivos são freqüentes. Inúmeros queimadores, aparentemente, abandonaram a prática de queimar. Algumas queimadas foram evitadas. Nas Escolas visitadas, em que se faziam queimadas, tal prática foi abolida. Há casos em pendência judicial, inclusive de queimadas praticadas em alguns Órgãos Públicos. Piromaníacos, queimadores de ação fortuita, lixões e recicladores são casos a serem enfrentados.
  Objetivando aprofundar e estender a atividade voluntária, apresentamos o site www.queimadasurbanas.bmd.br que contém a síntese de nossas experiências. Uma apresentação descreve e exemplifica o que é queimada urbana; o que é a fumaça; o histórico da ação e seus pressupostos de legitimação. São apresentados os folhetos utilizados, bem como os resumos de trabalhos apresentados em congressos, para download. Há um setor de leis ambientais e outro, de cases. Os demais setores são: perguntas freqüentes, com respostas; entrevistas concedidas à mídia; dicas de saúde, prevenção e cidadania; reflexão-momento intimista; tabagismo e um canal de comunicação, por e-mail.
   Pretendo que este site seja um instrumento eficiente para a conscientização e transformação de comportamentos, bem como um centro catalisador da ação de cidadãos preocupados com as queimadas urbanas.

   Palavras-chave: queimadas urbanas; poluição atmosférica; fumaça

 

Campinas

 

 

Folhetos